© 2011 . All rights reserved.

“Jameikan Hurricane”

A musa de Andy Warhol é um triplo twist carpado: posou e desfilou enquanto modelo de sucesso internacional e atuou em filmes “pouco ortodoxos”. Já na casa dos 60, com um corpaço que não saiu da casa dos 30, faz performances sensacionais com seus figurinos incríveis, e ainda canta com a potência do seu gogó jamaicano. Grace Jones  me deixou absolutamente boquiaberta na sua apresentação no AVO Sessions em Basel, Suíça.

Ela passou por lá na edição de 2009 e o Multishow HD fez o grande favor de inundar meus ouvidos e impressionar minhas retinas exibindo o enxuto, porém avassalador, show. Me vi invejando a plateia, queria estar ali!…  No show, ela canta músicas de seu álbum mais recente, Hurricane, e, claro, todos aqueles hits bombantes que bem conhecemos, como “Pull Up To The Bumper”.

Destaco “My Jamaican Guy”, do álbum “Living My Life”, quando Grace (SUPER íntima!) aparece vestindo um figurino empalhado que eu ousaria chamar “espantalho futurista”, belíssimo; “La Vie en Rose”, que ela gravou no álbum debut, “Portfolio”: percebi uma Jones cheia de emoção e sedução, com um francês impecável; e a fantástica “Slave to the Rhythm” do álbum de mesmo nome, quando ela gira um bambolê na cintura, do começo ao fim da música, sem perder o ritmo em nenhum momento! Sinistro!

Furacões têm certo tropismo pelo Caribe: passaram por lá o Gilbert, o Wilma… e é de lá o furacão Grace Jones.

Vale o confere. E quando ela vem ao Brasil mesmo?…

Post a Comment

Your email is never published nor shared.

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>